Janaína Dutra: Uma Dama de Ferro

Estréia do Filme









 
 

No dia 12 de maios de 2011, as 18:30, na Casa Amarela Eusélio Oliveira- Universidade Federal do Ceará, Av. da Universidade, 2591- Benfica- Fortaleza- Ceará “Janaína Dutra: Uma Dama de Ferro”, o filme documentário, dirigido pelo cineasta  Vagner de Almeida, que já dirigiu diversos filmes com as temáticas das homossexualidades, direitos humanos, gênero e saúde.

 

Com produção do GRAB - Grupo Resistência Asa Branca, sediado em Fortaleza, o filme documentário resgata a história dessa personagem real e a estréia fez parte das celebrações dos 22 anos de existência do grupo.

O lançamento entrou em circuito nacional e teve o patrocínio do Ministério da Cultura, através do Prêmio Cultural LGBTT.

Janaína morreu em fevereiro de 2004, aos 43 anos. Advogada, militante, ativista e travesti dedicada aos direitos de LGBTT e à luta contra a Aids, teve importante participação no movimento.

Colaborou na primeira campanha nacional de prevenção da Aids entre travestis, e entre outros pioneirismos, foi a primeira travesti portadora de carteira profissional da OAB.

No filme, amigos e familiares dão depoimentos sobre Janaína, que nasceu em Canindé, Ceará, e teve sua militância destacada no GRAB, e também na Associação Nacional de Travestis e Transexuais-ANTRA, Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais- ABGLT e na Associação de Travestis do Ceará- ATRAC, e era membro do Conselho Nacional de Combate à Discriminação.


Estiveram presentes na estréia os familiares com várias gerações de irmãos, sobrinhos de Janaína Dutra.

A grande homenageada da noite foi a Dr. Dargenira S. Dutra, mãe de Janaína que aos 92 anos prestigiou a noite que o filme foi lançado e abriu a temporada nacional.

Sra. Dargenira viajou de Canidé até Fortaleza por mais de 4 horas para ver  a estreia do/da seu/sua filha, a protagonista Janaína Dutra.

As irmãs de Janaína contam que a ansiedade de Dona Dargenira era tamanha, que ela não se alimentou durante todo dia e que falava durante o percurso da viagem que não via a hora de chegar em Fortaleza para ver o filme de Janaína. Por horas viajou serena e pensativa, pois era um momento muito espécial para ela ver a imagem de alguém que tanto amou e foi amada. Suas filhas confessaram que estavam preocupadas com a reação de Dargenira, uma verdadeira Dama de Ferro.

Dargenira sempre demonstrando coragem, força e determinação na trajetória de sua existência neste sistema tão cheios de esquinas escuras, cruzamentos sem sinais e brechas.

Ao ser homenageada com um boquê de rosas cor de rosas, nos disse que no dia seguinte iria até a sepultura de Janaína, em Canidê e depositaria aquelas rosas sobre o seu tumulo e a diria que como foi espécial para todos a sua noite.

 

"Te conhecerem meu filho, é um sonho e uma honra para mim! Todos nós te amamos muito!"

Um tom leve de emoção invade Dargenira, mas ela permanece firme com os aplausos e com o finalizar da sessão.

Com a sala de exibição lotada, com diferentes pessoas, amigos, comunidades diversas, travestis e toda a equipe do GRAB, instituição em que Janaína se fez presente até nos seus últimos dias e onde foi velada antes de seguir para a sua terra natal Canindé.

O filme comove o público e também abre a história do Brasil sobre essa protagonista que tantas portas abriu para o Movimento TLGBT.

 

Janaína Dutra: Uma Dama de Ferro em circuito nacional abre o campo do debate e do redescobrir de uma protagonista que fez história e criou espaço para que tantas outras travestis ou pessoas convivendo com o HIV/AIDS e outras opressões pudessem hoje, se manifestarem e irem em busca de seu direitos, cidadania e dignidade.

 

Lembro-me de Janaína causando nas plenárias onde era convidada ou começava a discursar, debater um assunto. Como dizem os amigos "Ela Causava!"

 

Marco Aurélio Oliveira: "Querida JANAINA, pessoal especialíssima, um dos meus maiores feitos nestes mais de 20 anos de militância nos e por direitos humanos foi articular a vinda de Doutora Advogada JANAINA DUTRA, a VI - Parada do Orgulho LGBTs de Goiânia - Goiás para dar uma aula de cidadania no calçadão da Rua do Lazer centro comercial da cidade, foi simplesmente tudo... Eu amo de paixão esta mulher!!"

 

 

Maiores Informações sobre:

 

Diretoria e Membros do GRAB: Grupo de Resistência Asa Branca


Francisco Pedrosa – Adriano Caetano – Dediane Souza


Endereço: Rua Teresa Cristina, 1050 – Centro – Fortaleza/CE – Brasil Fone/fax: (85) 3253.6197/ 3226.6761 - grab@uol.com.br - www.grab.org.br

 

   

 

MAIN (English version)
HOME / CASA
PRINCIPAL (clicar Português)

para maiores informações enviar e-mail:
vagner.de.almeida@gmail.com

 

© Todos Direitos Reservados Vagner de Almeida