I Encontro Nacional de Jovens Gays e outros HSH: Comentários

Nós somos apenas meninos que gostamos de outros meninos.

Antonio Pinheiro

São jovens que foram chegando de todos os estados brasileiros, são Gays e outros HSH que trouxeram na sua bagagem o que tanto de nós sofremos/enfrentamos no nosso cotidiano, o embate, a marginalização, o preconceito, o estigma, o descaso, a homofobia.

A gente quer valer o nosso amor.
A gente quer valer o nosso respeito.

Trazem também as possibilidades de construção de outras formas de se compreender o mundo para além dos limites da forma hegemônica e da moral repreensiva.

Na pluralidade das identidades desses Jovens Gays e outros HSH e nas suas diferenças criam se as redes de conhecimento e opiniões. Num dialogo com seus pares, modificam/transformam valores, demonstram outras possibilidades nos usos que fazem daquilo que está disponível, propõe alternativas e implementação de políticas publica.

Vivemos um momento em que as discussões sobre os direitos a diversidade de expressão e orientação sexual vêm acontecendo no mundo. Em Fortaleza-Ceará, na primavera de 2009 Jovens Gays e HSH participam de um encontro para debater, discutir, conhecer e propor sobre as questões de prevenção, solidariedade e ativismo em HIV/AIDS. O I Encontro Nacional de Jovens Gays e outro HSH, realizado pelo GRAB – Grupo de Resistência Asa Branca, com apoio da Chorer,  é um Movimento em prol dos seus direitos tentando assim diminuir a desigualdade e a violência. Buscando por compreender suas identidades, culturas e histórias, situando no espaço/tempo da ética, dos direitos humanos e da emancipação.

Nos depoimentos: ele diz: sou Gay, sou feliz como sou. Assumem sua sexualidade nas múltiplas variantes. O outro Jovem que diz: vivo com HIV/AIDS. Eles vão além, trazendo suas histórias de vida e refletem acerca delas, sem discursos prontos ou textos padronizados, eles dialogam.

 Segundo Guacira Louro, não se trata de novos temas, mas de novas questões que hoje estão colocadas para a sociedade e que precisamos enfrentar.

Sob a direção de Vagner de Almeida com suas lentes sempre voltadas para a realidade realiza o documentário que nos mostram esses Jovens Gays e HSH, que sentem que amam que são comumente excluídos e discriminados na rua, na escola, na família, mas que reagem e se afirmam nos cotidianos.

E tem a consciência que viver não é um manual de instrução. São conquistas de espaços/vida a cada dia.


Sobre o autor (Antonio Pinheiro)
Graduado em Educação Artística pela Faculdade Integrada Bennett, Estudou na Kungl. Konsthögskolan i Stockholm (Academia Real de Belas Artes de Estocolmo). Artista Plástico e Professor da Rede Estadual de Educação do Rio de Janeiro, da FAETC – Fundação de Apoio a Escola Técnica e Coordenador do Projeto Pro Dia Nascer Feliz.


 

 
 


MAIN (English version)
HOME / CASA
PRINCIPAL (clicar Português)

 

para maiores informações enviar e-mail:
vagner.de.almeida@gmail.com