Voz da Mulher Lésbica Brasileira

Ser Lésbica no Brasil é:

- Enfrentam segundo a segundo as tantas faces da violência, cobrindo meu corpo de amor, me colorindo de sonhos e armando de esperanças.  
(Priscila Garcia)

- Se for jovem e de bairro classe A é moda porque ta na novela. Se for da periferia não importando a idade é o mínimo porque nunca encontrou um macho de verdade! ( Vera Couto)

- "Será o que sempre foi, dependendo da sorte, será feliz. Se o contrário for, deixará seu legado de lutas e conquistas para as próximas gerações".
(Renata Ribas)

 

- "Não existe rosas sem espinhos, nem aqui ou em qualquer parte do mundo. Ser lésbica é manter suas defesas enquanto tenta mostrar sua beleza". (Renata Ribas)

 

- "Não existe rosas sem espinhos. Ser lésbica é manter suas defesas enquanto tenta mostrar sua beleza". (Renata Ribas)

 

- É ter atitude para viver o amor imoral de uma sociedade hipócrita e vencer preconceitos. (Claúdia Diamantino)

 

É viver intensamente o maravilhoso e gostoso amor com a mulher amada e desejada. (Claudia Machado).

 

- Ser Lésbica no Brasil é ser uma "amazona", lutando diariamente contra a tirania dos fundamentalistas homofobicos que tanto tenta nos oprimir. Ser Lésbica no Brasil é ser Maria, Ana, Francisca, Joaquina e tantas outras MULHERES de luta que não se deixaram se abater pelo machismo, pela intolerância e pela hipocrisia. ( Paula Theodoro)

 

É ser aguerrido, corajoso, ter um pouco de fel e muito de mel. Aguerrida para não se deixar sucumbir ao preconceito. Corajosa para honrar sua sexualidade.Fel para se defender e mel para amar.

(Hedi Oliveira)

 

É vivenciar a angustia do próximo instante... A sociedade ainda discrimina as mulheres, portanto, a maioria de nós não pode se assumir lésbica e isto causam prejuízos a vivenciais imensuráveis (Yone Lindgren)

 

É amar intensamente entre um preconceito e outro.

É compor uma poesia onde peito e respeito seja o mote principal.

É incluir na história a mulher-diversidade

É fazer parte de um que mostra a sociedade que existem outras mulheres. (Salete Maria)

 

Ser uma mulher em busca da saída da cristaleira, dos armários e muralhas que nos cercam e nos sufocam. (Cleíde Lúcia)

 

Não sei, pois ainda não as vi nas calçadas, nos bares, nas filas dos bancos. Elas, nós, não falamos, nos escondemos como avestruzes escondem as faces (Maria Maria – nome fictício)

 

Sou casada, escondida, mãe, tenho 58 anos e não vou ser lésbica no Brasil. Serei isto, uma mulher medrosa, amedrontada, apavorada e vivendo um grande amor por outra mulher. Isto é ser lésbica no Brasil, na maioria das vezes. (Rosa Triste)

 

Ser mulher lésbica nesta merda aqui... É foda... é foda... mau dado... kkkk (Rosangela Silva)

 

 

Poemas, Cordéis e Canções

LESBECAUSE

Salete Maria, cordelista juazeirense.

Let me see se apre(e)ndi
A língua da mulher gay
Deixe-me ver se (ab) sorvi
O tal do verbo to say:
Seio you, seio me, seio we
Lesbecause let me see
Em junho tem happy day
Por causa das lesbianas
Agora sou poliglota
Lésbicas ou pubianas
Já não as acho idiotas
Os lábios roçam as bocas
As bocas parecem loucas
Sedentas, mudam de rotas
Por causa das lesbianas
Surge a visibilidade
Algumas moças insanas
Se exibem com vaidade
Fazem manifestação
Mostram peito e coração
Se alastram pela cidade
Por causa das lesbianas
As feministas ampliam
A pauta das veteranas
Sussurram, berram e miam
Dizem?Mulher com mulher?
E já não dá jacaré
Como muitos presumiam
Por causa das lesbianas
As línguas se entrelaçam
As bocas se chamam xanas
As xanas se chamam rachas
As rachas se chamam girls
Garotas chupam freegels
Free girls chupam muchachas
Por causa das lesbianas
Na ponta da língua vem
Umas palavras sacanas
E um jeito de querer bem
Um dedo de prosa boa
Uma mão boba, à toa
Que move como ninguém
Por causa das lesbianas
É feita a tal discussão
Se Marias vão com Anãs
Por que chamar sapatão?
Preconceito dê no pé!
O chato é ter chulé
Amor não faz calo, não
Por causa das lesbianas
A luta por igualdade
Impõe teses mais humanas
Requer a diversidade
Só a sociedade viva
Não hetero-normativa
Permite a felicidade
Por causa das lesbianas
Fala-se de peito aberto
Bonecas de porcelana
Não se pode ver de perto
Quanta historia mal contada
Quanta mulher mal amada
Por causa?Do jeito certo?
Por causa das lesbianas
La vulva! Esquerda! Volver!
Enganam-nos quais iguanas
Estranha e dócil: por quê?
? ímida e espalhafatosa?
Exposta e misteriosa
Na seca aprende a chover
Por causa das lesbianas
Minha?Arte usa outro tom
Quais as culturas ciganas
Que exibem múltiplo som
Profanamente sagradas
Linguagens são agregadas
Colando lábio e batom
Por causa das lesbianas
Nem só a cultura é oral
Abaixo as falas tiranas
? edra é pedra, pau é pau?
Não?É o fim do caminho?
Lesco-lesco e roçadinho
Sugerem outro final
Por causa das lesbianas
As?Águas de março? Vêm
Lavadas pelas baianas
Do jeito que só faz bem
No oito do mês de festa
Abra-se mais que uma fresta
Pra Ela falar também
Por causa das lesbianas
Escrevo mais um cordel
Dedicado às Fulanas
Com registro em papel
Exorto-as a amar
Bem como a comemorar
A vida embaixo do Céu
Em face da Lesbecause
Falo em direitos iguais
Não só pra mexer no mouse
(Mas pra fazer muito mais)
É que se fez nossa mão
Nossa boca e coração
Nossa língua e nossos ais
Em nome da causa delas
Façamos uma Parada
Pra expor nas janelas
Em letras arroxeadas:
Nenhum direito a mais!
A menos também jamais!
Esta é a grande sacada!

 

Kiss
Heliana
Marta

Cilene

monas


paula
yascara
Silvana
Tucuxi

MARIA, HELENA

Salete Maria, cordelista juazeirense.

Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Assim dizia a novena
Que meus ouvidos ouviam
Intercalando um bendito
Com leituras do meu ser
Tirei do dito o não-dito
Fiz a reza estremecer
Acordei fiz um cordel
Tatuando num papel
Um romance pererê
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Assim dizia a novena
Que meus ouvidos ouviam
Fui montando minha peça
Pra Orlando encabeçar
Vai trazer prazer à beça
Pro povo do Ceará
Não tem príncipe encantado
Nem cawboy gay potentado
Mas tem beata a gozar
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
(Se este não é seu lema
Não se perca no dilema
(Vá pra outra freguesia)
Maria amando Helena?
Helena amando Maria?
Numa casinha pequena?
No pingo do meio-dia?
Maria amando Helena?
Helena amando Maria?
Quem as imaginaria?
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
(Ajeite logo a antena
Não posso perder a cena
(Grita Dona Maresia)
Maria, amada de Helena
Helena, amor de Maria
Veja que belo poema
Cheio de luz e magia
Inspira-me este tema
Quero levar pro cinema
De arte da cercania
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
(Tragam-me uma algema
Eis o meu estratagema
(Pra cuspir na burguesia)
Maria e sua Helena
Nasceram neste lugar
Na Baixa da Seriema
Perto do Rio Quicuncá
Os mais velhos dizem delas:
? ão duas moças donzelas,
Fale quem quiser falar?

Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
(Tire do ovo a gema
Bote na clara um trema
Arribe, vá pra Bahia)
Maria é meio calada
Vive da agricultura
Helena tange a boiada
E também faz escultura
As duas são benzedeiras
Nordestinas, brasileiras
Força, fé e formosura
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
Helena ama Maria
Maria ama Helena
(Ufa, cadê meu esquema?
(To perdendo a energia)
Maria que é (de) Helena
Helena que é (de) Maria
Ninguém aqui as condena-

 


MAIN (English version)
PRINCIPAL (clicar Português)

 

para maiores informações enviar e-mail:
vagner.de.almeida@gmail.com